O Centro de Memória realizou sessões do Projeto Cinema com Sabor, destinadas aos juízes vitaliciandos, como parte da programação do Módulo Regional do Curso de Formação Inicial - CFI, coordenado pela Escola Judicial, e em cumprimento à programação definida pela Escola Nacional de Formação e Aperfeiçoamento de Magistrados - ENAMAT.

As sessões de cinema aconteceram no auditório do prédio administrativo, localizado na Avenida Tefé, 630. Os debates foram conduzidos pelo juiz Gerfran Carneiro Moreira, Titular da 4ª Vara do Trabalho de Manaus, conforme programação a seguir:

FILME "Decisão de Risco", de Gavin Hood.
DATA 29 de maio de 2019
HORÁRIO 12h15 às 16h15
OBJETIVO Expor os magistrados ao dilema da decisão e discutir suas possíveis consequências.
MATÉRIA/CONTEÚDO Laboratório de Eticidade
FILME "O insulto", de Ziad Doueriri.
DATA 19 de junho de 2019
HORÁRIO 7h30 às 11h30
OBJETIVO Expor os magistrados às dificuldades das relações com os outros e os sentidos da alteridade, bem como da construção da igualdade e do exercício da cidadania.
MATÉRIA/CONTEÚDO Laboratório de Alteridade
FILMES

"Ilha das Flores", de Jorge Furtado

"Lixo Extraordinário", de Lucy Walker, João Jardim e Karen Harley

DATA 29 de maio de 2019
HORÁRIO 12h15 às 16h15
OBJETIVO Expor os magistrados ao dilema e discutir sua possíveis consequências
MATÉRIA/CONTEÚDO Laboratório de Eticidade

O objetivo do Projeto Cinema com Sabor é de proporcionar aos participantes momento de reflexão, por meio da exibição de filmes e posterior debates sobre as mensagens abordadas na película. É uma forma descontraída de estimular a reflexão crítica e a interação no trabalho. A pipoca, claro, não pode faltar!

Texto:Genilza Machado

361aProfª Isabel Varão (Uniniltonlins) e Genilza Machado (Cemej11), ambas ao centro, acompanhadas de estudantes de HistóriaProfª Isabel Varão (Uniniltonlins) e Genilza Machado (Cemej11), ambas ao centro, acompanhadas de estudantes de História

A atividade foi oferecida aos estudantes do curso de Licenciatura Plena em História da instituição de ensino superior

O Centro de Memória da Justiça do Trabalho da 11ª Região (Cemej11) e a Universidade Nilton Lins (Uninilton Lins) realizaram em parceria a Oficina "Os processos trabalhistas como fontes históricas: problemáticas e perspectivas de pesquisa a partir dos arquivos do Judiciário", destinada aos alunos do curso de Licenciatura Plena em História da instituição de ensino. 
A atividade aconteceu nas dependências da universidade, localizada no Parque das Laranjeiras, no último dia 13 de junho, às 18 horas, com carga horária de 2 horas, sendo conduzida pela profª mestranda Isabel Cristina Sabóia Varão. 
Durante a atividade, os alunos tiveram oportunidade de manusear processos trabalhistas da Vara do Trabalho de Itacoatiara e de Varas do Trabalho de Manaus, produzidos na década de 80 e 90, respectivamente.  
O evento se inseriu no Projeto Cemej Itinerante e teve como objetivo despertar nos discentes o interesse em utilizar os processos judiciais trabalhistas como fonte histórica para a pesquisa acadêmica, desvendando o potencial de informação contido nos documentos judiciais para a produção de artigos, trabalhos de conclusão de curso, dissertações e teses acadêmicas.

362Estudantes de História durante a oficina promovida pela parceria Cemej11 e Nilton LinsEstudantes de História durante a oficina promovida pela parceria Cemej11 e Nilton Lins

ASCOM/TRT11
Texto:  Genilza Machado, com edições de Paula Monteiro
Fotos: Cemej11

339Juiz do Trabalho Túlio Macedo Rosa e Silva durante palestra no SenaiJuiz do Trabalho Túlio Macedo Rosa e Silva durante palestra no Senai

A palestra foi proferida pelo juiz do Trabalho Túlio Macedo Rosa e Silva na segunda (10/6)


O Centro de Memória da Justiça do Trabalho da 11ª Região (Cemej11) realizou, na última segunda-feira (10/6), mais uma edição da palestra "A importância da Justiça do Trabalho", ministrada pelo juiz Túlio Macedo Rosa e Silva, em  continuidade ao Projeto Cemej Itinerante. 
O evento aconteceu no auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial  (Senai), no horário das 19h às 20h30, e teve como público professores, colaboradores e alunos da instituição.


Cemej Itinerante

O Projeto Cemej Itinerante tem como objetivo aproximar o Poder Judiciário da sociedade, contribuindo para a formação de cidadãos responsáveis e conhecedores dos seus direitos e deveres, além de divulgar as ações do Centro de Memória e os serviços prestados pelo Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região (TRT11).
Além disso, o projeto busca sensibilizar os alunos para a atuação e importância da Justiça do Trabalho e a consequente valorização do seu papel social.


Palestras realizadas em 2019

Em 2019, foram realizadas duas palestras para alunos e professores do Senai, nos dias 8 e 12 de abril. 
No dia 11 de abril, foi a vez de alunos da 3ª série do Ensino Médio da Escola Estadual Luizinha Nascimento, localizada no bairro da Praça 14, participarem de palestra do projeto Cemej Itinerante.

340


ASCOM/TRT11
Texto:  Genilza Macedo e Paula Monteiro
Foto: Genilza Macedo

285A juíza Sandra di Maulo (ao centro) e a servidora Genilza Machado (à esquerda) representaram o Cemej11 no evento em São PauloA juíza Sandra di Maulo (ao centro) e a servidora Genilza Machado (à esquerda) representaram o Cemej11 no evento em São Paulo

Realizado nos dias 23 e 24 de maio, o evento foi organizado pelo Centro de Memória do TRT da 2ª Região

O Centro de Memória da Justiça do Trabalho da 11ª Região (Cemej11) participou do “Encontro do Fórum Nacional Permanente em Defesa da Memória da Justiça do Trabalho – Memojutra”, na cidade de São Paulo (SP), nos dias 23 e 24 de maio de 2019. O evento foi organizado pelo Centro de Memória do TRT da 2ª Região. O Cemej11 foi representado pela juíza Sandra Di Maulo, membro da diretoria, e pela servidora Genilza Evaristo Machado Moreira, chefe do Centro de Memória. 
A programação do encontro contemplou, no dia 23 de maio, a palestra “Museu da Pessoa: uma história pode mudar o seu jeito de ver o mundo”, ministrada pelo historiador Felipe Rocha. A palestra enfocou a experiência do Museu da Pessoa, fundado em 1991, que tem por finalidade o registro audiovisual das histórias de vida de toda e qualquer pessoa que queira compartilhar sua história e memórias.
Em seguida, a palestra “Repositórios Digitais: horizontes e perspectivas dos acervos digitais”, ministrada pelos servidores Ariovaldo Furtado, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJ/DF), e Marcos Pereira Novais, do Instituto Brasileiro de Informação e Tecnologia (IBICT), tratou sobre sistemas digitais de armazenamento, apresentando, especialmente, o sistema aberto Arquivemática, que possibilita o acesso de longo prazo da memória digital.
Encerrou o primeiro dia a palestra “Memórias Narradas: diferentes formas de divulgar um acervo”, ministrada pelos servidores Ademar Adams, do TRT23, Christiane Teixeira Zboril, do Centro de Memória do TRT2, e Maurício Oliveira Agliardi, do TRT4. Na ocasião,foi abordada a produção de documentos que registram a memória institucional a partir dos relatos e narrativas das pessoas que participaram de eventos ou momentos históricos. 
A manhã do segundo dia de encontro foi dedicada à reunião do Memojutra. À tarde, o servidor Eduardo Rocha, diretor da Coordenadoria de Gestão Documental do TRT2, explanou sobre a estrutura e o funcionamento do Arquivo do TRT2. Em seguida, os participantes puderam visitar a exposição “Memória do TRT2: uma construção coletiva” e as dependências do Arquivo do TRT2.
O Memojutra funciona como uma rede articulada de magistrados e servidores, que atuam em defesa da memória da Justiça do Trabalho, tendo atuação científica, educacional e cultural, sendo composta por membros efetivos, fundadores ou não, representantes dos Centros de Memória, Gestão Documental e Arquivo e pelas Comissões Permanentes de Avaliação Documental.

Confira as fotos do evento.

ASCOM/TRT11
Texto e fotos: Cemej11

267O Centro de Memória - Cemej11, em parceria com o Departamento de Pós-Graduação de História da Universidade Federal do Amazonas - UFAM, promoveu Sessões Coordenadas e Mesa Redonda, em comemoração à 17ª Semana Nacional de Museus. Os eventos aconteceram no último dia 16 de maio, no auditório Rio Solimões.

As Sessões Coordenadas foram realizadas à tarde, no horário das 14h às 18h, tendo como tema "Os processos trabalhistas como fontes de pesquisa em História". A primeira Sessão Coordenada contou com palestra ministrada pelo juiz Túlio Macedo Rosa e Silva, sobre "O processo trabalhista, suas fases e peculiaridades". Em seguida, a professora e historiadora Sarah Araújo discorreu sobre "O processo trabalhista como fonte de pesquisa histórica".

A segunda Sessão Coordenada correspondeu a uma mostra de pesquisa, na qual os professores e historiadores Avelino Silva, Isabel Sabóia, Jennifer Carvalho e Tamir Carvalho apresentaram os trabalhos científicos desenvolvidos por eles, utilizando os processos trabalhistas disponibilizados pela Sessão de Arquivo Permanente como fonte de referência documental.

À noite, das 18h30 às 21h30, foi realizada Mesa Redonda, com o tema "Museus como fontes de pesquisa", tendo como debatedores os professores e historiadores Me. Francisca Deusa Sena da Costa, Dr. Nelson Tomelin Júnior e o Dr. Anderson Vieira Moura. Atuou como moderador o prof. Dr. César Augusto Bubolz Queirós.

Confirma aqui a programação e as fotos dos eventos.

ASCOM/TRT11
Texto: Cemej11
Foto: Diego Xavier

Seg Ter Qua Qui Sex Sáb Dom
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
Powered by Amazing-Templates.com 2014 - All Rights Reserved.